Nova York: Drag queens fazem sucesso entregando comida e dublando

Na Big Apple, drags estão literalmente dublando por suas vidas! Com direito a lipsync, Performers estão enfrentando a pandemia realizando entregas de refeições

2247
Audrey Phoenix, Inita D, Hibiscus e Catrin Lovelace em frente a Fresco’s Cantina

Nestes tempos difíceis, temos que aproveitar as pequenas alegrias onde podemos encontrá-las. E restaurantes nos Estados Unidos encontraram uma maneira de tornar a entrega de comida um pouco mais glamurosa e feroz.

Um restaurante no Queens, em Nova York, está aproveitando ao máximo os pedidos feitos neste período de lockdown na cidade, fazendo suas refeições serem entregues por drag queens por uma modesta taxa.

Os clientes que gastam no mínimo 50 dólares no Fresco’s Cantina, um restaurante de comida mexicana, podem fazer um acréscimo de 15 dólares à sua conta e pedir que uma drag faça a entrega da refeição em sua residência, realizando a dublagem de uma música à sua escolha do lado de fora.

O Fresco’s iniciou seu serviço de domingo, em 17 de maio, com um quarteto de artistas locais levando margaritas congeladas, tacos al pastor, entre outros pratos para mais de 20 casas. Brian Martinez, proprietário do Fresco’s, declarou à Insider:

“Somos uma empresa pertencente a pessoas gays. Fazemos bingo de drag às quintas-feiras, brunch aos domingos, exibições de RuPaul’s Drag Race. Então, tínhamos essas atividades e as pessoas diziam ‘sinto falta do bingo, sinto falta do brunch!’”

Enquanto o serviço de restaurante fica suspenso durante a pandemia, Martinez viu que os negócios de entrega da Fresco estavam bombando.

Inita D mantendo a distância social do lado de fora da casa de um cliente. Foto: Divulgação

“Pensei em incorporar as duas coisas, colocar algumas rainhas por aí e ajudá-las a ganhar dinheiro extra. Fazia meio que sentido juntar tudo. Permanecemos relevantes, nosso brunch permanece relevante e as meninas permanecem ocupadas.”

Inita D, que normalmente apresenta o jogo semanal de bingo da Fresco’s, diz que o serviço permitiu que ela se reconectasse com os clientes regulares. E eles dão aos consumidores domésticos “um momento de alegria e compartilhamento”. A revelou que o primeiro serviço de entregas incluiu vários aniversários e continuou:

“É óbvio que as coisas não são as mesmas agora, mas ainda estamos tentando fazê-lo funcionar e celebrar a vida. As pessoas estão tratando o assunto como algo especial. Eles podem ficar presos em casa, mas ainda podem comemorar seu aniversário.”

Audrey Phoenix, outra drag queen da equipe de entrega, falou que a possibilidade de se apresentar ao vivo – mesmo na calçada – é “gratificante”.

Audrey Phoenix se apresenta para clientes mantendo a distância social. Foto: Divulgação

“Muitos de nós continuamos ocupados fazendo shows digitais, e esses são ótimos. Mas isso não lhe dá essa interação. Aqui podemos ver seus sorrisos, ouvir os aplausos. É difícil para todo mundo agora e ouvir alguém dizer ‘você fez o meu dia’ é simplesmente incrível”.

Os espectadores batem palmas e buzinam, acrescentou.

Todas as rainhas usam máscaras faciais enquanto entregam a comida e mantêm o distanciamento social durante toda a interação. “É sem contato, como o Seamless”, disse Inita.

As máscaras só saem brevemente quando as rainhas dublam.

O serviço foi oferecido nos finais de semana durante o mês de junho, segundo Martinez, que foi inundado com mensagens de textos e e-mails, mesmo fora da área de entrega do restaurante em Astoria.

“As pessoas estão fazendo pedidos de Brooklyn Heights, Forest Hills, Harlem. No momento, não estamos fazendo entregas por essas áreas, mas as pessoas estão prontas para ir”.

Drags de outras cidades também entraram nessa onda de entregas: nos finais de semana, as drag queens do Black Hart, um bar gay de St. Paul, em Minnesota, levam os pedidos aos clientes no estacionamento, de acordo com a City Pages.

O bar LGBT de futebol Black Hart também colocou suas artistas drags para trabalhar nos fins de semana, entregando ao estilo de estádio nos horários de almoço e janta as refeições e bebidas para seus clientes, às sextas e sábados. Wes Burdine, proprietário da Black Hart, diz:

“Sentimos muita falta do nosso pessoal, e nosso pessoal sente falta de um lugar para ir, por isso espero que seja uma maneira divertida de as pessoas apoiarem a nós e a comunidade que construímos”.

Dina Delicious levando cerveja e batatas fritas para clientes. Foto: Divulgação

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here