Aprovado o Dia Estadual de Combate à LGBTQIAFOBIA no Ceará

287
Votação realizada durante sessão legislativa desta quarta-feira – Foto: Junior Pio

Por Igor Thawen

O Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alece) aprovou, nesta quarta-feira (20/09), por 27 votos a 2, a criação do Dia Estadual de Combate à LGBTQIAfobia. O projeto de n°712/23, de autoria da deputada estadual Lia Gomes (PDT) e em coautoria da deputada Larissa Gaspar (PT) e do deputado Guilherme Bismarck (PDT), busca enfatizar a importância de combater todo e qualquer tipo de preconceito contra a população LGBTQIAPN+.

Com isso, o dia 17 de maio, que já é o Dia Internacional Contra a LGBTQIAfobia, passa a integrar o Calendário de Eventos Oficiais do Estado do Ceará.

A discussão gerou debates entre os deputados, que expressaram opiniões divergentes. Para Lia Gomes, a autora do projeto, é fundamental ampliar o debate sobre essa causa para evitar os danos históricos enfrentados pelo público-alvo dessa iniciativa.

O deputado Pastor Alcides Santos, do PL, expressou seu apoio ao combate à discriminação, mas argumentou que a criação de um dia específico para a comunidade LGBTQIAPN+ parece ser desnecessária. Ele afirmou: “Devemos combater o preconceito, mas criar um dia? Não acho que seja o correto”, justificando seu voto contrário ao projeto.

Por outro lado, a deputada Larissa Gaspar (PT), coautora da iniciativa, elogiou a coragem da deputada Lia Gomes em apresentar o projeto. Larissa até citou passagens bíblicas para respaldar sua posição favorável à criação do Dia de Combate à LGBTFOBIA. Ela argumentou: “Deus é amor. O maior mandamento é amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo […] não devemos aceitar como normal que a população LGBT tenha uma expectativa de vida de 35 anos, enquanto outros brasileiros e brasileiras têm uma expectativa de mais de 70 anos.”

Dessa forma, mais uma vez o estado nordestino alcança uma conquista que marca uma vitória significativa para a comunidade LGBTQIA+. “É inaceitável que ainda seja necessário defender projetos que visem alertar sobre casos de violência contra a população LGBTQIA+ que ocorrem em nosso Estado e promover ações de combate ao preconceito e discriminação. Chega de usar a palavra de Deus contra essas pessoas que apenas desejam igualdade de direitos e o direito de viver sem violência e sem medo. O mundo precisa de mais solidariedade e mais amor”, declarou a deputada Lia Gomes (PDT).Parte superior do formulário

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here